Resenha/Comentário – Sombra

Depois de umas férias do blog finalmente a ultima resenha dos livros que comprei na Bienal, a continuação de Escuridão, Sombra.

SOMBRA Sombra (My Land #2)
 Elena P. Melodia – Suma – 340 pág

“Alma tenta, mas não consegue escapar de uma excursão da escola. Ao comparecer a uma exposição de fotografias com a turma, vê o retrato de uma menina idêntica a ela. Como pode uma sósia ser idêntica em TUDO até nas roupas? Morgan, seu melhor amigo, está desaparecido, mas colegas e família parecem não se dar conta. Seu comportamento é bastante estranho. Quando reaparece, ele marca um encontro com Alma num esconderijo subterrâneo debaixo de um velho aqueduto. O que ele quer contar a ela? Teria algo a ver com os assassinatos que ocorrem na cidade? E com as vozes na cabeça de Alma? E seriam todos estes mistérios indícios de algo ainda mais surpreendente sobre a própria origem de Alma e Morgan?”

“Quanta força tem um olhar, mesmo vazio?” -Pág 11

“Acho que nos dão um inicio, um ponto de partida. Dai em diante, a escolha é nossa. Tudo está em nossas mãos. A sorte e o azar estão ligados ao modo como agimos(…)” – Pág 137

“Interpretações geram expectativas, que por sua vez geram desilusão.” – Pág 287

Se o clima já era sombrio em  “Escuridão”, “Sombra” não se mostra nada menos sombrio. Logo no começo do livro Alma descobre uma garota idêntica a ela, uma “sósia”, porém não é apenas uma sósia. Ela continua a escrever assassinatos e mais que isso agora ela acaba por presencia-los.  Ao procurar o fotografo de sua sósia ela descobre que ela também tinha problemas.

Nunca tinha encontrado uma personagem com o meu nome, e nesse livro fiquei espantada quando li “Larissa” nas paginas do livro. Porém, é… não digo que gostei muito dela não. Larissa é a “sósia” de Alma filha do fotografo e que esconde um grande mistério.  Os mistérios ficam mais  “claros” nesse livro e entendemos o porque de no nome da série ser My Land.

Nesse livro Elena continua com a característica que mais gostei nela, não sei bem como descrever isso mas ela aborda assuntos reais, diria até curiosidades, coisas que tornam o livro mais enriquecedor culturalmente. Nesse livro ela fala sobre a memoria da água (uma propriedade, da mesma, usada em homeopatia) além da questão sobre a ligação entre irmãos gêmeos.  Além de falar sobre a vida em uma instituição para menores continuando o ocorrido com Agata no livro anterior, também continua a abordar o ocorrido com Naomi. Em fim ela continua a abordar assuntos fora do universo fantasioso.

Tenho de comentar do triangulo amoroso que se forma nesse livro, no inicio juro que gostava do Morgan mas mais pro fim do livro fui pegando raiva dele e comecei agostar do Adam. A relação entre os 3 também é um ponto alto do livro por ser uma relação bem complicada, sendo que Alma descobre ter muito em comum com Morgam mas ao mesmo tempo se sente ligada a Adam mesmo com tudo o que aconteceu no livro anterior.

O 3 livro da série “Luz” (“Luce” – Em Italiano) foi lançado no Brasil no finzinho de Janeiro.

Capa Luz.“Alma está em um quarto de hospital momentaneamente sem memória. Logo, porém, outros não vão se lembrar dela também: sua família, seus amigos, todos, exceto Adam. De volta em casa, agora querem descobrir o que aconteceu com Morgan. Como tornar-se completamente humana? E quem escolher, Adam ou Morgan?”

Esse ai da capa é o Adam? Não gosti não… vou continuar com o da minha imaginação. Mas gostei muito do efeito de água nesse livro tem bem haver com a historia, porém no geral as capas dessa série não são as mais bonitas. Então não julgue um livro pela capa porque vale muito a pena conhecer essa série, aguardo ansiosamente para ler “Luz”.

Bienal do Livro de São Paulo 2012!

Olá pessoas, estou realmente sem postar por algum tempo ainda mais agora que a maratona dos vestibulares está chegando, e estou estagiando, mas prometo que logo logo coloco as resenhas atrasadas em ordem. E também estou planejando de mudar de domínio mas ainda não está nada decidido nem realmente pronto.

Em fim semana passada dia  11/08 estive na Bienal do Livro de São Paulo, depois de muito rolo e definindo que realmente ia aos 45min do 2º tempo! Para quem ama livros como eu, a Bienal é sem duvida maravilhosa! Por que? Olha é difícil mesmo explicar, talvez seja a incrível quantidade de livros, ou chance de conhecer vários autores, ou até a chance de ver o estande da editora de seu livro favorito decorada como tema dele, mas a meu ver, o que torna a Bienal maravilhosa é a concentração de leitores por metro quadrado! Gente aquilo depois do meio-dia é o caos! xD
Mas ainda assim é ótimo, pelas pessoas que você conversa quando está olhando um livro que está em promoção, ou quando sem querer é fisgado por um autor entre os corredores da Bienal, e claro os fãs das mesmas séries que você que é só bater o olho na camiseta e pronto já dá pra saber que o papo vai render. ^^

Olha não tirei muitas fotos, porque de verdade não tenho habito de tirar fotos, juro que tento mudar isso porque vi muita coisa linda na Bienal mas em fim vou mostrar as que eu tirei e algumas que eu garimpei pela internet.

Homenagens:

Eu é claro como boa vestibulanda (cof-cof, também tanto tempo na luta né?),  fui na bienal atenta para homenagens aos escritores que esse ano tem seu centenário Jorge Amado e Nelson Rodrigues. E qual foi a minha quando encontrei Graciliano Ramos, aos seus 120? xD

Jorge Amado:

  

Nelson Rodrigues (Estande do grupo Ediouro):

 

Graciliano Ramos:

Uma coisa que eu também adoro na bienal, e em eventos de livros em geral, é quando temos os personagens ou espaços decorados como cenas dos livros. Sejam atores, ou até mesmo apenas os personagens gigantes, eu realmente adoro.

       

Bom e vocês acham mesmo que eu fui e voltei na bienal de mãos abanando? Há… Maniaca por papel do jeito que eu sou, nunca! Dá uma olhadinha no desfalque:

   

Quando comecei a planejar minha ida a Bienal uma das primeiras coisas que eu fui atras foi ver a programação no estande das editoras. E bom embora tenha encontrado mais um monte de escritores maravilhosos a escritora que eu escolhi para ir, realmente com o objetivo de pegar autografo, foi a Thalita Rebouças. Não que seja super fã dela mas a admiro muito. E após 2h de fila valeu a pena, ela é muito simpática e atenciosa com todos, e vocês imaginam a quantidade  de gente que tinha.

 

 

No geral o que eu achei da Bienal? Bom foi realmente muiiitttooo mais bem organizada que a 21ª ( A ultima aqui em sampa), e estava bem mais cheio porém foi fácil para comprar ingresso e para entrar. O maior problema que tive foi na hora da alimentação,  a praça tava lotada, mas em fim nem tava com muita fome. E no fim do dia estava com braços e pernas doendo pra caramba mas, juro, se desse teria ido todos os dias! Quem sabe ano que vem, não é? Em fim pra quem ainda está planejando ir na Bienal, corra pois amanhã (19/08) é o ultimo dia. E a dica que eu dou é procure a programação no estande das editoras vale muito a pena, não que dê pra seguir a programação mas pelo menos você sabe tudo o que está acontecendo, e os eventos quase que 100% das vezes são a tarde então dá pra aproveitar o período da manhã para descobrir o que vai rolar.

Em fim até logo, prometo tentar colocar as resenhas em dia, mas está difícil.
o/

Resenha/Comentário – A Batalha do Apocalipse

Ta eu sei que faz tempo que não posto, e isso já ta virando forma de começar o post né? Em fim cá estou porque já li 4 livros (e estou lendo mais um agora) e ainda não fiz resenha de nem um deles, e não gosto de deixar resenhas acumulando.

A Batalha do Apocalipse – Eduardo Spohr
Verus – 587 pág 

Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final.

Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo.

Os homens têm sentimentos que nós, anjos, desconhecemos.” – Pág 31

Com tanto poder nas mãos, alguns realmente são corrompidos pela maldade, que é o caminho mais fácil à ascensão. Mas isso não acontece só com feiticeiros, também com os guerreiros e os monarcas” – Pág 59

Tolo é o filho que depende do pai, que se apoia em suas segurança e desiste de desbravar o mundo por si.” – Pág 86

E, acima de tudo, temo esquecer meus valores, perder minha ideologia e matar minha causa.” – Pág 94

“[…] a sombra sempre revela nossa verdadeira natureza.” – Pág 137

“A cada dia, os seres humanos se apegam mais ao mundo material, esquecendo seus instintos. Foi por isso que os animais não se assustaram. Para eles, nada é impossível.” – Pág 265

Derrotar alguém não significa necessariamente vencê-lo em combate.” – Pág 337

É realmente difícil encontrar um autor nacional, de literatura fantástica que consiga abocanhar o publico que muitas vezes fica preso a sucesso internacionais. Trombei com A Batalha do Apocalipse varias vezes em livrarias, muitas destas entre os mais vendidos. E já com vontade de le-lo vi uma entrevista que disse tudo o que eu precisava para tomar coragem de de-lo “Autor Nacional”. Quem me conhece sabe que eu adoro literatura fantástica, e quase que plenamente, de autores estrangeiros. E a algum tempo ando procurando autores nacionais, atuais, que me prendam e me intriguem com seus livros. Eduardo Spohr faz isso e muito mais.

A Batalha do Apocalipse não tem um ritmo de leitura rápido como é quase de praxe em muitos romances atuais, ele está mais para uma aventura épica, que vai construindo-se com longos flashbacks  do passado do personagem principal, Abalon. Para alguns isso é irritante, mas eu particularmente gosto muito. Sim é uma quebra abrupta na leitura, mas depois que você se apega é gostoso.

Outra coisa que me atraiu muito foi o cenário da historia. Viajamos por lugares e tempos muito distantes, é realmente uma viagem na historia. Gosto muito de livros assim, principalmente depois quando estou estudando historia me deparo com alguma coisa que vi em livro. Foi assim com o livro Paixão da série Fallen que já resenhei.

E como se não bastece todo esse clima envolvente, a proposta do livro é muito boa. Sim, muito viajada, e talvez algumas vezes ante-religioso, mas a lição que o livro nos deixa é realmente muito forte (Acho que pelas citações deu pra notar um pouco).

Porem é meio que obvio que um livro que não tivesse um romance não ia me prender por muito tempo néh? Tem sim, um lindo romance que atravessa os séculos, entre uma feiticeira e um anjo caído. O livro conta também com uma linha do tempo bem completa e um glossário pra ninguém ficar perdido no meio da história.

BookTrailer:

O livro foi primeiramente lançado como produção independente pelo blog  Filosofia Nerd do próprio autor. Alguns anos depois os direitos de publicação foram adquiridos pela Verus (do grupo Record) , a qual detém seus direitos de publicação atualmente. Mas atualmente o titulo vem sido publicado em outros países primeiramente em Portugal, depois na Holanda e a algumas poucas semanas na Alemanha.

Capas pelo mundo:
  
Portugal  – Holanda –  Alemanha

Recomendo muitíssimo esse livro, não só por ser um autor nacional mas pelo livro ser realmente muito bom, interessante e uma lição de vida muitas vezes.
Para quem quiser saber mais alguns links:
Blog: http://filosofianerd.blogspot.com.br/
Site Oficial: http://www.abatalhadoapocalipse.com/ (tem algumas narrativas bem legais viu, pra quem ainda não se convenceu)

Li esse livro no começo do ano, e de falar dele deu vontade de ler de novo… Ai ai…
Em fim logo logo(eu espero) tem resenha de O Filho de Netuno e Laços do Espirito.
Alguém já leu a Batalha do Apocalipse também?  Quem quer saber o que aconteceu com o Anjo Rafael!!!???
Bem que o Eduardo podia contar pra gente né?

Beijos até logo! o/

Resenha/Comentário – O Beijo das Sombras (Academia de Vampiros)

Depois de uma década sem postar, voltamos a programação normal…
Num vô nem justificar de mais a falta de posts… basicamente: Preguiça, Dor de Cabeça, Tristeza, Desanimo e falta de ideias…
Mas vamos pelo menos postar uma resenha que eu fiz a quase um mês…

 O Beijo das Sombras  (Academia de Vampiros 1)Richelle Mead

Lissa e Rose são fugitivas da Academia São Vladimir. Mas depois de 2 anos, são pegas por um grupo de guardiões e levadas de volta a escola.
Na Academia o leitor começa a descobrir como funciona a sociedade vampira na qual Vasilisa(Lissa)é uma princesa e Rosemarie(Rose) sua melhor amiga, e que elas tem uma estranha ligação.
Lissa é uma Moroi, um tipo de vampiro “vivo” os quais alem de se alimentar de sangue como os vampiros convencionais também praticam magia. Lissa é uma Dragomir uma das 12 famílias que formão a realeza Moroi. Ela perdeu toda sua família, porem não Rose que vivia com eles e sobreviveu com ela.
Rose é uma aprendiz de guardiã, a qual quando formada deverá fazer a segurança dos Moroi contra os Strigoi um tipo de vampiros “mortos” os quais se transformaram após matar uma vitima ao se alimentar. Rose é um dampira meio vampira, meio humana.
Em o Beijo das Sombras, coisas estranhas levaram Lissa e Rose a fugirem da São Vladimir e quando elas retornam coisas estranhas começam a acontecer, alguém sabe o segredo de Lissa e esse alguém quer ela.
Como se não bastasse isso Lissa se apaixona por Christian, um Moroi real porem obscuro. E Rose… por seu treinador Dimitri. O que rende belos rolos ao desenrolar do livro.

Minha opinião: Gostei… Não é o melhor livro que já li, mas gostei muito. Admito que logo no começo achei meio estranho a relação entre Lissa e Rose, mas persisti sem nem um preconceito. E não me arrependi pois o livro revela emoções fortes, tanto de romance quanto de aventura e amizade. E grandes surpresas quanto a quem no fim é o culpado, e até onde ele pode ir para atingir seus objetivos.

BookTrailer:

Amooo BookTrailers, principalmente feito por fãs… Talvez mais que filmes… Ou não.

Para quem se interessou pela serie o blog Agito Livros da editora Agir (Responsável pela publicação da Série no Brasil) fez um PodCast muuuiiitttooo legal sobre esse primeiro livro da serie.  Vale a pena ouvir aqui!

Ainda não sei quando vou pegar pra ler o 2º… to com ele e o terceiro na minha estante… mas num sei o clima ainda não veio (admito: Culpa de alguns spoilers que li…). Mas recomendo, muito muito!

Até a próxima!

Resenha/Comentário – Gone

Olá pessoas, tudo bom?
Espero que sim, estou sem muitas idéias pra posts, por isso num ando postando muito aqui.
Mas agora vai! Postando a resenha do livro que li a +/- um mês.

 Gone o ultimo livro da série Wake. Foi sem duvida o livro que eu mais enrolei pra ler, pelo simples fato que não queria me separar da História.

Janie já tinha problemas de mais tinha problemas de mais sendo uma apanhadora de sonhos. Depois de seu ultimo ano trabalhando como detetive disfarçada da narcóticos(uma divisão da policia especializada em apreensão de drogas e investigações nesse departamento) seus problemas passaram de uma apanhadora de sonhos acidental, para um investigadora com a estranha habilidade de pegar as coisas no “ar” (ou nos sonhos).

Gone começa em um momento conturbado da vida de Janie. Ela acaba de depor sobre o ocorrido na festa do Sr. Dubin e sua identidade como sendo uma agente da narcóticos é revelada a todos da cidade. Assim sob o olhar de todos a apontando e comentando ela e Cabel, revivem o caso Dublin.

Com o fim das aulas e como forma de fugir do olhar de todos da cidade, Janie e Cabel vão passar as férias em uma cabana junto com o irmão de Cabel, em Fermont.

Tudo parece finalmente estar acertando-se, e os planos são irem para a faculdade e tudo iria acertar-se. Mas Janie recebe estranhos recados de Carrie, e descobre que terá de enfrentar mais alguns sonhos e pesadelos antes de poder seguir em frente, ou desaparecer.

Gone é um livro muito bonito, e é a conclusão perfeita para uma série que não tem nada de sonho, além da estranha habilidade de Janie.
Eu particularmente adoro livros com finais felizes magica e tudo mais, mas me encantei com os dilemas reais vividos por Janie, que envolvem drogas, bebida, mudanças, preconceitos e familias problemáticas.
Recomendo não é um livro para se sonhar, é um livro que você sofre junto, mesmo não se identificando com nem um personagem, e cresce muito com as Experience deles.

“Para todos aqueles que tem problemas em casa, vocês não estão sozinhos” – Dedicatória.

Talvez seja mais fácil concertar corações partidos do que mãos e olhos” – Página 46.

Por hj é só.
A e para quem quiser conhecer o resto da serie Wake segue os links:

FADE

WAKE

Cada Cabeça Um Livro!

Tentativa frustrada de graça, mas ta valendo xDD
Em fim após um feriado com quedas, raladas, peixes e chocolate voltamos a rotina (ou a tortura).

Não estou a fim de postar minhas unhas dessa (e as das anteriores, pq tem varias) semana então vou fazer um post com uma coisa legal que vi no Twitter de um Editora (Axo que foi da Rocco, mas não tenho certeza).

Já se perguntou como um livro pode mudar uma pessoa? Seja uma forma de pensar, uma forma de vestir-se ou até a forma de falar os Livros assim como os amigos, conhecidos ou até mesmo o ambiente tem o poder de mudar as pessoas.

Se pegarmos um exemplo histórico temos a própria Bíblia Sagrada. Que é sem duvida o melhor exemplo do poder que um livro pode ter.

Seja um livro de auto-ajuda, ou uma historia de conto de fadas livros mudam pessoas, e a Mint Vinetu (Uma Livraria Lituana, pelo que entendi, pq meu Lituano é péssimo (ou o do Google xDD)) criou uma campanha bem interessante com o conceito que um livro pode mudar uma pessoa. Become Someone Else!

   
Clique nas imagens que elas ficam maiores ^^

Então que livro faz a sua cabeça? ^^

Resenha / Comentário – FADE

E ai galerinha, tudo bom?? Espero que sim, pq comigo não esta tão assim ^^
Mas no fim da tudo certo, pq eu sou otimista e não desisto fácil! Mas em fim hj vou tar falando do ultimo livro que eu li.


A incrível continuação de Wake, Janie e Cabel trabalham juntos agora Janie utilizando seus poderes de entrar nos sonhos das pessoas para desvendar e ajudar a Capitã a solucionar crimes. Mas quando Janie fica encarregada de encontrar um predador sexual na Fieldridge High Shcool, Cabel pode lidar com os perigos que Janie passa? E o pior com seu ciúmes e seu desejo de protege-la a qualquer custo? Como se não bastasse Janie descobre mais sobre seu dom que se revela para ela uma maldição, e talvez para Cabel também. E ela se vê no dilema de deixa-lo para que ele possa ser plenamente feliz.

Não gostei tanto quanto do Wake, mas realmente me emocionei muito com ele, é uma continuação digna de Wake porém não sei faltou algo. Mas enrolei um pouco para ler ele por que a contra capa dele me deu medo. >.<”

E essa parte de “deixa-lo livre para ser feliz, ou mantê-lo com sigo para serem felizes” me lembrou de outros livros os da Serie A Mediadora em que a Suze também vive esse dilema e lembro de quando ela fala de um cartaz escrito ” Se você ama alguma coisa, deixe-a livre, se tiver de ser, ela voltará para você”. Só comentando sabe xDD

Estou lendo o GONE que é o ultimo (T.T””) da serie, mas esse acho que vou demorar um pouco mais pra ler, por que não quero terminar xDD.

E depois dele eu ia ler o Orgulho e Preconceito , mas com a noticia que li hj no QDNG axo que vou ler o A Hospedeira, por que vai sair filme!!! Noticia AKI! E como eu adoro um livro adaptado pra cinema, já viu né???

Só isso por hj, bjus e inté!

Entradas Mais Antigas Anteriores