Resenha/Comentário – Sombra

Depois de umas férias do blog finalmente a ultima resenha dos livros que comprei na Bienal, a continuação de Escuridão, Sombra.

SOMBRA Sombra (My Land #2)
 Elena P. Melodia – Suma – 340 pág

“Alma tenta, mas não consegue escapar de uma excursão da escola. Ao comparecer a uma exposição de fotografias com a turma, vê o retrato de uma menina idêntica a ela. Como pode uma sósia ser idêntica em TUDO até nas roupas? Morgan, seu melhor amigo, está desaparecido, mas colegas e família parecem não se dar conta. Seu comportamento é bastante estranho. Quando reaparece, ele marca um encontro com Alma num esconderijo subterrâneo debaixo de um velho aqueduto. O que ele quer contar a ela? Teria algo a ver com os assassinatos que ocorrem na cidade? E com as vozes na cabeça de Alma? E seriam todos estes mistérios indícios de algo ainda mais surpreendente sobre a própria origem de Alma e Morgan?”

“Quanta força tem um olhar, mesmo vazio?” -Pág 11

“Acho que nos dão um inicio, um ponto de partida. Dai em diante, a escolha é nossa. Tudo está em nossas mãos. A sorte e o azar estão ligados ao modo como agimos(…)” – Pág 137

“Interpretações geram expectativas, que por sua vez geram desilusão.” – Pág 287

Se o clima já era sombrio em  “Escuridão”, “Sombra” não se mostra nada menos sombrio. Logo no começo do livro Alma descobre uma garota idêntica a ela, uma “sósia”, porém não é apenas uma sósia. Ela continua a escrever assassinatos e mais que isso agora ela acaba por presencia-los.  Ao procurar o fotografo de sua sósia ela descobre que ela também tinha problemas.

Nunca tinha encontrado uma personagem com o meu nome, e nesse livro fiquei espantada quando li “Larissa” nas paginas do livro. Porém, é… não digo que gostei muito dela não. Larissa é a “sósia” de Alma filha do fotografo e que esconde um grande mistério.  Os mistérios ficam mais  “claros” nesse livro e entendemos o porque de no nome da série ser My Land.

Nesse livro Elena continua com a característica que mais gostei nela, não sei bem como descrever isso mas ela aborda assuntos reais, diria até curiosidades, coisas que tornam o livro mais enriquecedor culturalmente. Nesse livro ela fala sobre a memoria da água (uma propriedade, da mesma, usada em homeopatia) além da questão sobre a ligação entre irmãos gêmeos.  Além de falar sobre a vida em uma instituição para menores continuando o ocorrido com Agata no livro anterior, também continua a abordar o ocorrido com Naomi. Em fim ela continua a abordar assuntos fora do universo fantasioso.

Tenho de comentar do triangulo amoroso que se forma nesse livro, no inicio juro que gostava do Morgan mas mais pro fim do livro fui pegando raiva dele e comecei agostar do Adam. A relação entre os 3 também é um ponto alto do livro por ser uma relação bem complicada, sendo que Alma descobre ter muito em comum com Morgam mas ao mesmo tempo se sente ligada a Adam mesmo com tudo o que aconteceu no livro anterior.

O 3 livro da série “Luz” (“Luce” – Em Italiano) foi lançado no Brasil no finzinho de Janeiro.

Capa Luz.“Alma está em um quarto de hospital momentaneamente sem memória. Logo, porém, outros não vão se lembrar dela também: sua família, seus amigos, todos, exceto Adam. De volta em casa, agora querem descobrir o que aconteceu com Morgan. Como tornar-se completamente humana? E quem escolher, Adam ou Morgan?”

Esse ai da capa é o Adam? Não gosti não… vou continuar com o da minha imaginação. Mas gostei muito do efeito de água nesse livro tem bem haver com a historia, porém no geral as capas dessa série não são as mais bonitas. Então não julgue um livro pela capa porque vale muito a pena conhecer essa série, aguardo ansiosamente para ler “Luz”.

Anúncios

Resenha/Comentário – Escuridão

Depois de uma sumida cá estou com mais um livro da Bienal, que já faz uns 3 meses que li (>.<“),  e como estou mega atrasada com as resenhas vamos lá!

Escuridão  (My Land #1)
Elena P. Melodia – Suma – 332 pág

“Alma tem 17 anos, e nada em sua vida difere das meninas de sua idade: escola, programas com seu grupo de amigas, tédio e impaciência na relação com a família. Até o dia em que vê um caderno roxo numa vitrine e, por puro impulso, o compra. A partir daí, acontecimentos horripilantes começam a se suceder. Todos descritos em detalhes nas páginas do caderno…antes de acontecerem. Com a letra dela. Que não se lembra de ter escrito nada. Quem é Alma, na verdade? Quem é Morgan, seu misterioso amigo de escola, que parece ter respostas para o que está acontecendo? E como impedir que as forças do mal se aproximem dela e de quem ela ama?”

“(..) sorrisos e lágrimas podem ser muito perigosos se ficarem fora de controle.” – Pág 10

“Mas o conceito de justiça também é, sempre e de todo modo, pessoal” – Pág 21

“Digerir pensamentos que não nos pertencem é muito mais fácil do que fazer o mesmo com os nossos” – Pág 34

“As vezes a vida nos coloca diante de opções muito difíceis. Nem todos fazem a escolha certa.” – Pág 304

Em Escuridão conhecemos Alma uma garota mimada, convencida e líder de um grupinho exclusivo no qual só se entra com aprovação dela e de suas amigas (Naomi, Seline e Agata).  Já peguei uma raiva tremenda dela logo nas primeiras paginas por ela ser muito cheia de si e extremamente convencida.  Porém ao longo do livro conhecemos a vida de Alma que inclui seu irmão, com quem tem uma péssima relação, sua irmãzinha, muda desde a morte do pai, sua mãe uma enfermeira dedicada e um estranho caderno roxo. Alma começa a escrever estranhos assassinatos, porém ela não sabe como ou porque eles acontecem. Ela irá descobrir que  é muito mais que apenas uma garota com problemas.

Vale ressaltar que a autora enrola muito e juro que até o final desse livro não sabia explicar do que se tratava o livro, porém isso não o torna massante pois ao longo do livro ela fala de varias situações da vida de Alma. Vemos a difícil relação de Alma com o irmão do meio Evan, com sua mãe e seu namorado. Uma coisa que eu gostei foi uma cena em que um casal Gay é descrito com naturalidade, também o fato de ser abordado a Anorexia e a Bulimia. Gosto de livros com conteúdo com coisas pra se levar além de uma boa historia e não me decepcionei com esse.

O livro tem uma boa pitada de mistério e talvez até um pouco de terror, aquele tipo de suspense que faz você querer ler tudo de uma vez pra entender o que acontece. Porém nesse livro não teremos muitas respostas. Nesse ponto posso compara-lo a série Fallen e adianto que não é menos surpreendente porém bem mais macabro.

Elena P. Mellodia é uma escritora Italiana e esse foi um dos motivos pelo qual o livro me interessou, é gostoso sair um pouco dos tradicionais livros americanos, e o ar do livro é claramente outro e acredito que mostre um pouco a realidade da escritora.

Resumindo vale muito a pena ler esse livro, não é um Best Seller, porém tem todo esse potencial e recomendo muitíssimo principalmente pra quem gosta de um livro mais “sombrio”.

Resenha/Comentário – Silêncio

Para quem estava com saudade dos anjos, a resenha da minha outra aquisição na Bienal, Silêncio o terceiro livro da série Sussurro que conheci na minha primeira Bienal.
 Silêncio – Becca Fitzpatrick
 Intrínseca – 301 pág.

 Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada.
A verdade é assustadora, mas a ignorância é paralisante.” – 171 pág
Acho que não entende o que eu seria capaz de fazer para mantê-la aqui comigo“-182 pág
Sei que faria qualquer coisa por você, mesmo que para isso tivesse que agir contra meus instintos e minha natureza. Abriria mão de tudo que tenho,até da minha alma, por você. Se isso não é amor, é o melhor que tenho para oferecer.” – 239 pág
Não tem como saber. A única coisa que você pode ter nesse momento é fé.” – 287 pág

Fazia mais de um ano desde que li Crescendo, então realmente tive de ir dar uma olhada nele e no Sussurro para relembrar a historia. E bom no fim me senti um pouco como a Nora, sem memória dos últimos livros porém logo foi tudo clareando.

Não sei se é falta de experiencia ou outra coisa, mas série de anjos sempre são até muito bem elaboradas pra mim. E sussurro é meio que o meu xodó quando se fala de série de anjos , por ser a primeira do gênero que li.

Nesse livro saímos quase que da estaca zero pois Nora não se lembra dos últimos 5 meses se sua vida (os últimos 2 livros) , e ao mesmo tempo que ela não se lembra a batalha entre anjos caídos e nefilins continua acontecendo a sua volta. E se o final de Crescendo foi frustrante  (Pra mim foi, o raiva que eu fiquei! Queria logo esse…), só vamos entender o que realmente aconteceu no parque de diversões quase que no fim de Silêncio. Acho que nesse livro finalmente da pra notar que Patch cede ao seu amor por Nora, o que até o final do ultimo livro ele ainda insistia em resistir. Também conhecemos mais sobre Patch, pra pra mim por mais que tente entende-lo ele ainda é um ponto de interrogação Patch é sem duvida um dos personagens mais enigmáticos de todas as séries que estou lendo (Levando em consideração séries que já passamos do 2º livro), ficando realmente muito empatado com alguns da série Fallen.

O ponto alto da historia é quando Nora começa a se lembrar de tudo, e aos poucos ela vai lembrando que não é só uma garota normal e sim que é a filha de um nefilim e agora as coisas estão mais complicadas pois ela terá de fazer escolhas que poderão mudar seu destino e marcar para sempre sua alma. Patch que já abrira mão de tudo para salvar Nora não imagina que teria de abrir mão de muito mais para poder continuar com ela.

O 4º e ultimo livro da série, Finale ( Final – Tradução Livre), tem previsão de lançamento nos EUA para 23 de Outubro de 2012.  Aqui no Brasil provavelmente no final do 1º semestre de 2013.

Aguardo ansiosamente por Finale, segundo Becca esse será o maior livro da série. Estou realmente intrigada com o rumo que a historia vai tomar, pois no geral, Silêncio já deixa dois rumos a serem tomados em Finale, só me resta saber qual Becca irá aproveitar, e se no final Nora e Patch vão ter um lugar para ficarem juntos.

Livros Anteriores:

 

Aproveitando o tema anjos, deixa eu mostrar mais uma aquisição dos meus xodós inspirados em livros:

Linda né? Estava louca por uma jaqueta com asas a tempos (Na verdade desde o 1º livro sobre anjos) dai acabei fazendo essa. ^^
Até a próxima.

Resenha/Comentário – Travessia

Começando as resenhas dos livros que comprei na Bienal, hoje vou resenhar um dos livros que estava mais esperando esse ano, a sequencia de DESTINO.

 Travessia – Ally Condie
 Suma – 280

Em busca de um futuro que pode não existir e tendo que decidir com quem compartilhá-lo, a jornada de Cassia às Províncias Exteriores em busca de Ky – levado pela Sociedade para uma morte certa –, mas descobre que ele escapou, deixando uma série de pistas pelo caminho. A busca de Cassia a leva a questionar o que é mais importante para ela, mesmo quando vislumbra um diferente tipo de vida além das fronteiras. Mas, à medida que Cassia tem certeza sobre o seu futuro com Ky, um convite para uma rebelião, uma inesperada traição e uma visita surpresa de Xander – que pode ter a chave para revolta e, ainda, para o coração de Cassia – mudam o jogo mais uma vez. Nada é como o esperado em relação à Sociedade, onde ilusão e traição fazem um caminho ainda mais confuso.

 

Porque quando você ama, não há o que fazer. Você ama e não tem como voltar atrás.” – Pág 52
E então eu penso: E  se eu tivesse que classificar a mim mesma? Me pergunto. O que eu veria?“-Pág 68
Então ela perguntou qual era a cor dos meus olhos. Naquele momento percebi que amar alguém era mais perigoso, mais como uma rebelião, do que qualquer outra coisa.” Pág 84
É lindo e é real, mas nosso tempo juntos pode ser tão efêmero como neve no planalto. Podemos tentar mudar o mundo ou simplesmente aproveitar ao máximo o tempo que temos.” – Pág 160
Não é saber escrever que faz você uma pessoa interessante – ele disse- é o que você escreve.” – Pág 200
Despedidas são assim. Nem sempre dá para distingui-las muito bem no momento da separação, por mais profundo que seja o corte.” – Pág 248

 

Eu já sou apaixonada por essa série, e juro não me decepcionei nem um pouco com a continuação de Destino.  O ritmo do livro é mais rápido que o  anterior, e a narrativa se alterna entre Ky e Cassia. Por isso nesse livro conhecemos mais sobre  Ky, sua vida e como se tornou uma aberração. Conhecemos as províncias exteriores e somos apresentados a mais mistérios da Sociedade.

Uma da coisas que eu mais gostei em Destino, é a questão de o livro ser basicamente um culto a arte, a forma de expressão por meio da arte.  Em Travessia não é diferente, ao conhecer novos personagens, muitos desses aberrações, vemos como a Sociedade suprime toda e qualquer forma de expressão, como muitas coisas simples se tornam belas quando raras.

Gostei muito da narrativa de Ky por finalmente entendermos a visão dele das coisas. Li varias resenhas onde os leitores se diziam desencantados com ele após conhecer sua visão. Eu já não alimentava muitas esperanças de Ky ser o príncipe encantado/herói perfeito, pelo contrario esperava exatamente o que vi dele: Inseguro e com muitas cicatrizes de tudo que já havia passado na vida. Pra mim, Xander sempre foi bem mais o príncipe encantado, e embora ele quase não apareça no livro me surpreendi com o rumo que o lado dele da história está tomando.

O livro termina com muitas duvidas, mais dúvidas que reais respostas, e juro que estou curiosa para saber como Ally vai conseguir finalizar a série no próximo livro.

Reached (Alcançar – Tradução Livre), o terceiro e ultimo livro da série, será lançado nos EUA em 13 de novembro de 2012, e tem previsão  para ser lançado aqui no Brasil no final do 1º semestre de 2013.

Quanto ao filme, como já havia comentado na resenha de Destino, a Disney já detêm os direitos para adaptar a série para as telonas, porém a novidade é que finalmente a Disney assumiu que irá fazer adaptação, inclusive já escolheu os roteiristas Michelle e Kieran Mulroney  (Sherlock Holmes: A Game of Shadows)  e até o momento tem como diretor cotado para dirigir a adaptação David Slade (A Saga Crepúsculo: Eclipse). Espero que isso seja um sinal de que a Disney realmente quer abocanhar o publico jovem saindo um pouco dos clássicos desenhos que a consagraram (Mas não muito adoro os desenhos da Disney). E que isso a leve a produzir alguns outros filmes que detêm os direitos de adaptação, como a série A Mediadora de Meg Cabot.

Resenha de Destino:

Bom aguardamos novos capítulos, e espero que essa competição das grandes produtoras resulte em ótimas adaptações cinematográficas de livros que já são maravilhosos. Mas até lá, continuemos com os livros.

Bienal do Livro de São Paulo 2012!

Olá pessoas, estou realmente sem postar por algum tempo ainda mais agora que a maratona dos vestibulares está chegando, e estou estagiando, mas prometo que logo logo coloco as resenhas atrasadas em ordem. E também estou planejando de mudar de domínio mas ainda não está nada decidido nem realmente pronto.

Em fim semana passada dia  11/08 estive na Bienal do Livro de São Paulo, depois de muito rolo e definindo que realmente ia aos 45min do 2º tempo! Para quem ama livros como eu, a Bienal é sem duvida maravilhosa! Por que? Olha é difícil mesmo explicar, talvez seja a incrível quantidade de livros, ou chance de conhecer vários autores, ou até a chance de ver o estande da editora de seu livro favorito decorada como tema dele, mas a meu ver, o que torna a Bienal maravilhosa é a concentração de leitores por metro quadrado! Gente aquilo depois do meio-dia é o caos! xD
Mas ainda assim é ótimo, pelas pessoas que você conversa quando está olhando um livro que está em promoção, ou quando sem querer é fisgado por um autor entre os corredores da Bienal, e claro os fãs das mesmas séries que você que é só bater o olho na camiseta e pronto já dá pra saber que o papo vai render. ^^

Olha não tirei muitas fotos, porque de verdade não tenho habito de tirar fotos, juro que tento mudar isso porque vi muita coisa linda na Bienal mas em fim vou mostrar as que eu tirei e algumas que eu garimpei pela internet.

Homenagens:

Eu é claro como boa vestibulanda (cof-cof, também tanto tempo na luta né?),  fui na bienal atenta para homenagens aos escritores que esse ano tem seu centenário Jorge Amado e Nelson Rodrigues. E qual foi a minha quando encontrei Graciliano Ramos, aos seus 120? xD

Jorge Amado:

  

Nelson Rodrigues (Estande do grupo Ediouro):

 

Graciliano Ramos:

Uma coisa que eu também adoro na bienal, e em eventos de livros em geral, é quando temos os personagens ou espaços decorados como cenas dos livros. Sejam atores, ou até mesmo apenas os personagens gigantes, eu realmente adoro.

       

Bom e vocês acham mesmo que eu fui e voltei na bienal de mãos abanando? Há… Maniaca por papel do jeito que eu sou, nunca! Dá uma olhadinha no desfalque:

   

Quando comecei a planejar minha ida a Bienal uma das primeiras coisas que eu fui atras foi ver a programação no estande das editoras. E bom embora tenha encontrado mais um monte de escritores maravilhosos a escritora que eu escolhi para ir, realmente com o objetivo de pegar autografo, foi a Thalita Rebouças. Não que seja super fã dela mas a admiro muito. E após 2h de fila valeu a pena, ela é muito simpática e atenciosa com todos, e vocês imaginam a quantidade  de gente que tinha.

 

 

No geral o que eu achei da Bienal? Bom foi realmente muiiitttooo mais bem organizada que a 21ª ( A ultima aqui em sampa), e estava bem mais cheio porém foi fácil para comprar ingresso e para entrar. O maior problema que tive foi na hora da alimentação,  a praça tava lotada, mas em fim nem tava com muita fome. E no fim do dia estava com braços e pernas doendo pra caramba mas, juro, se desse teria ido todos os dias! Quem sabe ano que vem, não é? Em fim pra quem ainda está planejando ir na Bienal, corra pois amanhã (19/08) é o ultimo dia. E a dica que eu dou é procure a programação no estande das editoras vale muito a pena, não que dê pra seguir a programação mas pelo menos você sabe tudo o que está acontecendo, e os eventos quase que 100% das vezes são a tarde então dá pra aproveitar o período da manhã para descobrir o que vai rolar.

Em fim até logo, prometo tentar colocar as resenhas em dia, mas está difícil.
o/