Resenha/Comentário – Cinquenta Tons de Cinza

Vamos falar do fenômeno, e polêmico, sucesso literário do ano.

CINQUENTA_TONS_DE_CINZA Cinquenta Tons de Cinza – E L James
  Intrínseca – Pág 455

“Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja, mas em seus próprios termos.”

 

Juro que ainda não sei dizer se gosto ou não desse livro, é um livro pesado, é um livro erótico, e gostei muito de uma expressão que li sobre o livro é um Mommy Porn.  E opinião e bafafa sobre esse livro foi o que mais li e ouvi desde que terminei de ler esse livro há uns 3 meses.

Mr. Grey é o sonho de qualquer mulher logo a primeira vista, misterioso, rico (Me chianguem o quanto quiser mas sem todo o dinheiro que tem não realizaria metade do que faz nesse livro, a menos que foce muito criativo.) e com um fortíssimo Sex Appel(?)! É impossível não se sentir atraída por Grey, mesmo em cenas que não são necessariamente quentes, ele emana sedução.

Todo o processo de divulgação do livro é claro que ajudou e muito a vende-lo. Cinquenta tons já chamava a atenção pouco antes da Bienal de 2012 porém foi na mesma que fiquei morrendo de vontade de conhecer esse novo fenômeno.

estandeintrinseca  Greynabienal

Essas fotos são do estande da editora que utilizou como maior publicidade o livro e ao lado o evento que ocorreu no ultimo dia da Bienal com um ator vestido de Christian Grey.  Na Bienal não comprei o livro, mas trouxe alguns panfletos com o primeiro capitulo e marcadores. Pra que?! Só o primeiro capitulo já fiquei encantada com o Mr. Grey.

Porém voltando ao livro depois de todo esse encanto você vai realmente conhecendo Grey, o clima do livro e no geral a pornografia do mesmo. Criticas que eu tenho desse livro são bem simples, o livro não tem um conteúdo propriamente dito é realmente um Mommy Porn, um livro para você ler porque quer se desligar um pouco de sua vida. Talvez tenha sentido muita falta de conteúdo nesse livro pois tinha acabado de ler Escuridão e Sombra (Elena P. Melodia) e ambos são muito ricos em conteúdo. Outra coisa que me irritou foi a linguagem chula,  quem me conhece sabe que não gosto de linguagem chula em livros, em alguns pontos (“I don’t make love. I fuck…hard”) é necessário, mas em outros não vejo necessidade.  Porém nada grave.

É uma leitura gostosa, simples e que se desenrola com facilidade com foco, claro, nos momentos de sexo entre Ana e Christian. O ponto polemico do livro é  o sadomasoquismo de Christian, o gosto dele por assim dizer. Além de toda a brincadeira erótica entre eles. A parte que eu gostei do livro foi o drama psicológico de Ana que é totalmente inocente (e virgem) ao conhecer Christian e se vê envolvida em todo o erotismo e sadomasoquismo dele. Além da duvida de quem é Mr. Grey e porque ele é assim, visivelmente avesso a qualquer relação mais profunda do que apenas “fuck hard” com ela (xDD).  Tem muito de romance entre tudo isso, meio enrolado, meio medroso e torto mas é um romance.  É quando você vê a paixão mudando um pessoa (^^). Me incomodou muito a submissão imposta por Christian a Ana, e o fato de ela aceitar, entendo, juro que entendo mulher apaixonada faz cada tonteira (u.u”), mas me incomodou de mais. Mas em fim esse é o drama.

Outra coisa que quero comentar é a reação que vi das pessoas quando me viam lendo esse livro, desde “Você está lendo isso?”, passando por “Você tem idade pra ler isso?”, a apenas sorrisinho irônicos e comentários “Safadinha…”. Demorei menos de uma semana pra ler esse livro e juro que todo dia tinha um que me enchia. E percebi que a maioria eram homens. Não sou nenhuma super-feminista pelo contrario sou na verdade uma defensora dos poucos homens cavalheiros ainda existentes, porém percebi que eles se sentem intimidados por mulheres que procuram uma leitura desse gênero até comentar com eles é engraçado porque eles ficam meio perdidos (risos).

Como não achei BookTrailer desse livro vale uma musica que, pra mim, combinou muito com o livro.

 

Gosto de falar de fenômenos por isso tem muito assunto! Mas em fim, vou guardar mais um pouco para o próximo volume. E para quem sente medo de ler, ou ser visto lendo, um livro com essa fama deixe eu avisar: O livro não morde e o “Index” já foi abolido a muito tempo. Vale a pena conhecer, e se conhecer em um ponto mais “sexual” seja homem ou mulher. E livro nenhum é proibido, proibido é julgar sem realmente ler!

Anúncios

Resenha/Comentário – Escuridão

Depois de uma sumida cá estou com mais um livro da Bienal, que já faz uns 3 meses que li (>.<“),  e como estou mega atrasada com as resenhas vamos lá!

Escuridão  (My Land #1)
Elena P. Melodia – Suma – 332 pág

“Alma tem 17 anos, e nada em sua vida difere das meninas de sua idade: escola, programas com seu grupo de amigas, tédio e impaciência na relação com a família. Até o dia em que vê um caderno roxo numa vitrine e, por puro impulso, o compra. A partir daí, acontecimentos horripilantes começam a se suceder. Todos descritos em detalhes nas páginas do caderno…antes de acontecerem. Com a letra dela. Que não se lembra de ter escrito nada. Quem é Alma, na verdade? Quem é Morgan, seu misterioso amigo de escola, que parece ter respostas para o que está acontecendo? E como impedir que as forças do mal se aproximem dela e de quem ela ama?”

“(..) sorrisos e lágrimas podem ser muito perigosos se ficarem fora de controle.” – Pág 10

“Mas o conceito de justiça também é, sempre e de todo modo, pessoal” – Pág 21

“Digerir pensamentos que não nos pertencem é muito mais fácil do que fazer o mesmo com os nossos” – Pág 34

“As vezes a vida nos coloca diante de opções muito difíceis. Nem todos fazem a escolha certa.” – Pág 304

Em Escuridão conhecemos Alma uma garota mimada, convencida e líder de um grupinho exclusivo no qual só se entra com aprovação dela e de suas amigas (Naomi, Seline e Agata).  Já peguei uma raiva tremenda dela logo nas primeiras paginas por ela ser muito cheia de si e extremamente convencida.  Porém ao longo do livro conhecemos a vida de Alma que inclui seu irmão, com quem tem uma péssima relação, sua irmãzinha, muda desde a morte do pai, sua mãe uma enfermeira dedicada e um estranho caderno roxo. Alma começa a escrever estranhos assassinatos, porém ela não sabe como ou porque eles acontecem. Ela irá descobrir que  é muito mais que apenas uma garota com problemas.

Vale ressaltar que a autora enrola muito e juro que até o final desse livro não sabia explicar do que se tratava o livro, porém isso não o torna massante pois ao longo do livro ela fala de varias situações da vida de Alma. Vemos a difícil relação de Alma com o irmão do meio Evan, com sua mãe e seu namorado. Uma coisa que eu gostei foi uma cena em que um casal Gay é descrito com naturalidade, também o fato de ser abordado a Anorexia e a Bulimia. Gosto de livros com conteúdo com coisas pra se levar além de uma boa historia e não me decepcionei com esse.

O livro tem uma boa pitada de mistério e talvez até um pouco de terror, aquele tipo de suspense que faz você querer ler tudo de uma vez pra entender o que acontece. Porém nesse livro não teremos muitas respostas. Nesse ponto posso compara-lo a série Fallen e adianto que não é menos surpreendente porém bem mais macabro.

Elena P. Mellodia é uma escritora Italiana e esse foi um dos motivos pelo qual o livro me interessou, é gostoso sair um pouco dos tradicionais livros americanos, e o ar do livro é claramente outro e acredito que mostre um pouco a realidade da escritora.

Resumindo vale muito a pena ler esse livro, não é um Best Seller, porém tem todo esse potencial e recomendo muitíssimo principalmente pra quem gosta de um livro mais “sombrio”.

Resenha/Comentário – A Esperança

Continuando a falar da série Jogos Vorazes hoje vou resenhar/comentar o terceiro livro da série, A Esperança.

A Esperança – Suzanne Collins
 Rocco – 421Pág

Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução. 
A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. 
O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra? 
Acompanhe Katniss até o fim do thriller, numa jornada ao lado mais obscuro da alma humana, em uma luta contra a opressão e a favor da esperança.

 

A 75ª Edição dos Hunger Games foi interrompida, porém dessa vez não pela Panem e sim pelo Distrito 13.  Agora a guerra foi declarada e a Panem quer destruir cada distrito que se alia ao distrito 13.  Katniss tornou-se o simbolo da resistência, o Mockingjay, porém Katniss nunca foi carismática nunca foi um simbolo e se foi era por ter Peeta ao seu lado.  Mas agora Peeta está nas mãos da Panem enquanto Katniss está nas mãos do Distrito 13, e ambos no meio da guerra.

Essa série me surpreendeu muito desde o primeiro livro,  e com A Esperança não foi diferente. Nesse livro vemos a verdadeira guerra, e que nem sempre os lados opostos de uma guerra são realmente diferentes. Juro ao final do livro eu não gostava nem do Distrito 13 nem da Panem, não sei se esse era o objetivo da Suzanne mas foi o que me causou.

Se alguém até esse livro não havia percebido a fortíssima critica social que a série carrega, Collins deixa-a obvia ao explicar a estrutura da Sociedade (E explicar o nome “Panem”, do “Estado”) e finalmente sitando que a mesma é uma antiga politica chamada “Pão e Circo” (Panem at Circense).

Eu nunca fui fã do Gale, nunca mesmo, e nesse livro eu confirmo minhas suspeitas de que ele é um cara rancoroso e que acaba por gostar da guerra por ser uma forma de se vingar de tudo que a Panem fez a ele.  No primeiro livro Katniss e ele eram muito parecidos, ela também tinha ódio da Panem e queria vingança porém ao ver os dois lados ao conhecer o Capitol e mais que isso ao conhecer Peeta ela muda. E isso vai influenciar conclusão da série.

Quanto ao dito final, juro que fiquei um pouco decepcionada, não que não tenha gostado, esse tem toda a carga dramática  que eu esperava de uma série forte como essa. E juro que se foce diferente talvez tivesse me decepcionado com Katniss e até com a própria Suzanne Collins, porém eu adoro romances e sempre fico triste com finais por serem finais, por não nos deixarem mais ver o que acontece depois que a guerra acaba.

Tem como ler essa série  inteira e não querer o broxe do Mockingjay (Tordo) ? Obvio que foi uma das primeiras coisas que eu fui procurar depois de ler a série. E essa é a grande parte boa de uma série virar “modinha” é muito fácil achar coisas dela ;D~

Adquiri uma réplica do broxe na Lily Acessorios, além de produtos dos Jogos Vorazes eles trabalham também (e principalmente) com produtos de Harry Potter. Então pra quem estava procurando uma loja confiável,e que trabalhe com produtos de qualidade, eu não tive problemas em receber meu bottom.

Quanto a adaptação cinematografia de A Esperança, essa será dividida em 2 partes (Virou moda né??): A Esperança: Parte 1 tem estreia prevista para 21 de novembro de 2014 e A Esperança: Parte 2 para 20 de novembro de 2015.  Por um lado eu até gosto dessa divisão porque dá pra aproveitar bem o livro e teoricamente as adaptações ficam bem melhores com um tempo maior. Teoricamente, porque as vezes tempo de mais significa enrolação de mais na tela e no livro um ritmo mais lento significa monólogos internos dos personagens porém isso não é passado para a tela. Eu particularmente não gosto dessas divisões pela distancia de 1 ano entre uma parte e outra! Eu já devorei os livros e agora me fazem esperar até 2015 pra ver toda a série na telona! u.u” E outra coisa, até 2015 os tempos serão outros, as pessoas serão outras.  Espero apenas que os 4 filmes da série sejam tão bons quanto os livros, e consigam passar o que a Suzanne passa em seus livros, para que quem ainda não tenha lido os livros o faça porque vale muito a pena.

Resenha/Comentário – Silêncio

Para quem estava com saudade dos anjos, a resenha da minha outra aquisição na Bienal, Silêncio o terceiro livro da série Sussurro que conheci na minha primeira Bienal.
 Silêncio – Becca Fitzpatrick
 Intrínseca – 301 pág.

 Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada.
A verdade é assustadora, mas a ignorância é paralisante.” – 171 pág
Acho que não entende o que eu seria capaz de fazer para mantê-la aqui comigo“-182 pág
Sei que faria qualquer coisa por você, mesmo que para isso tivesse que agir contra meus instintos e minha natureza. Abriria mão de tudo que tenho,até da minha alma, por você. Se isso não é amor, é o melhor que tenho para oferecer.” – 239 pág
Não tem como saber. A única coisa que você pode ter nesse momento é fé.” – 287 pág

Fazia mais de um ano desde que li Crescendo, então realmente tive de ir dar uma olhada nele e no Sussurro para relembrar a historia. E bom no fim me senti um pouco como a Nora, sem memória dos últimos livros porém logo foi tudo clareando.

Não sei se é falta de experiencia ou outra coisa, mas série de anjos sempre são até muito bem elaboradas pra mim. E sussurro é meio que o meu xodó quando se fala de série de anjos , por ser a primeira do gênero que li.

Nesse livro saímos quase que da estaca zero pois Nora não se lembra dos últimos 5 meses se sua vida (os últimos 2 livros) , e ao mesmo tempo que ela não se lembra a batalha entre anjos caídos e nefilins continua acontecendo a sua volta. E se o final de Crescendo foi frustrante  (Pra mim foi, o raiva que eu fiquei! Queria logo esse…), só vamos entender o que realmente aconteceu no parque de diversões quase que no fim de Silêncio. Acho que nesse livro finalmente da pra notar que Patch cede ao seu amor por Nora, o que até o final do ultimo livro ele ainda insistia em resistir. Também conhecemos mais sobre Patch, pra pra mim por mais que tente entende-lo ele ainda é um ponto de interrogação Patch é sem duvida um dos personagens mais enigmáticos de todas as séries que estou lendo (Levando em consideração séries que já passamos do 2º livro), ficando realmente muito empatado com alguns da série Fallen.

O ponto alto da historia é quando Nora começa a se lembrar de tudo, e aos poucos ela vai lembrando que não é só uma garota normal e sim que é a filha de um nefilim e agora as coisas estão mais complicadas pois ela terá de fazer escolhas que poderão mudar seu destino e marcar para sempre sua alma. Patch que já abrira mão de tudo para salvar Nora não imagina que teria de abrir mão de muito mais para poder continuar com ela.

O 4º e ultimo livro da série, Finale ( Final – Tradução Livre), tem previsão de lançamento nos EUA para 23 de Outubro de 2012.  Aqui no Brasil provavelmente no final do 1º semestre de 2013.

Aguardo ansiosamente por Finale, segundo Becca esse será o maior livro da série. Estou realmente intrigada com o rumo que a historia vai tomar, pois no geral, Silêncio já deixa dois rumos a serem tomados em Finale, só me resta saber qual Becca irá aproveitar, e se no final Nora e Patch vão ter um lugar para ficarem juntos.

Livros Anteriores:

 

Aproveitando o tema anjos, deixa eu mostrar mais uma aquisição dos meus xodós inspirados em livros:

Linda né? Estava louca por uma jaqueta com asas a tempos (Na verdade desde o 1º livro sobre anjos) dai acabei fazendo essa. ^^
Até a próxima.

Resenha/Comentário – Em Chamas

Continuando as resenhas da série Jogos Vorazes. Li todos quase que continuamente, porém estou intercalando suas resenhas com os que li mais atualmente.
  Em Chamas – Suzanne Collins
  Rocco – 423 Pág

 Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações nos distritos dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menos do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.

 

Jogos Vorazes termina com Katniss e Peeta voltando como vitoriosos do 74º Hunger Games, porém a dupla vitória na arena não foi bem aceita pela Panem. E embora Peeta e Katniss desejem voltar para casa e para suas vidas no Distrito12, muita coisa mudou enquanto eles estavam na Arena, neles e em suas vidas.  Peeta e Katniss agora são o casalzinho favorito do Capitol e são obrigados a manter a faxada dos “Amantes Desafortunados” durante o tour da Vitoria que passa por todos os Distritos. Porém ao desafiar a Panem, obrigando-os a declarar 2 vitoriosos, não esperavam colocar suas famílias, e todos os Distritos em risco.  E agora nem mesmo os vitoriosos estão a salvo dos Hunger Games.

 

Quando terminou o filme naquela linda viagem de trem de volta ao Distrito 12, eu juro que fiquei curiosa pensado “E agora? A sequencia vai ser outros personagens outros jogos?”, e acabei lendo mais por essa curiosidade que por qualquer outra coisa.

Nesse livro vemos mais como a Panem funciona, como ela controla os distritos com fome e violência e como mantem o povo do Capitol controlado, como bonequinhos sem cérebro.  Durante o tour da vitória a violência está sempre presente nos distritos, tornando as aparições de Peeta e Katniss grandes eventos transmitidos para o povo da Capitol mas momentos de tensão nos distritos. Após desafiar a Panem, Katniss se tornou o simbolo da resistência, e agora a Panem reforça ainda mais o cerco em cima dos Distritos. E em um golpe, a fim de acabar com os ditos “sobreviventes”, na 75ª edição dos Hunger Games os tributos serão escolhidos entre os vitoriosos provando que ninguém está a salvo. Assim os “Desafortunados Amantes do Distrito 12” estão de volta a arena e dessa vez correm contra o tempo.

É fácil fazer um comparativo sobre os cidadãos da Capitol e a nossa própria sociedade, e realmente pensar sobre as regalias que temos e quantos não passam fome para temos nossos superfuos. Um dos trechos do livro que mais mostra isso é quando Peeta e Katniss vão a uma festa no Capitol onde as pessoas comem até não conseguirem mais, e após vomitam apenas para tornarem a comer mais.  Nesse ponto você começa aperceber que o livro é muito mais uma critica social que apenas mais um romance.

Um outro ponto que achei interessante no livro é como Suzanne mostra a questão da experiencia pós traumática vivida por Katniss, onde ela não consegue ter um sono tranquilo por ainda reviver sua experiencia na arena. O que ela mostra no livro é muito parecido com o relatado por soldados quando voltam da guerra, achei um ponto muito interessante abordado.

O romance de Katniss por Peeta começa a dar sinais lindos e claros, atenção para o dia antes de eles voltarem a arena é realmente uma das minhas partes favoritas, e a que fez esse ser o meu livro favorito da série.

O segundo filme da série tem estreia prevista para 23 de novembro de 2013, deverá ser filmado na primavera deste ano nos Estados Unidos. Foram divulgados alguns dos atores que faram os vencedores/tributos da 75ª Edição dos Hunger Games, bem como outros personagens que terão uma participação mais forte no ultimo filme da série [aqui].

Livro Anterior:

Resenha/Comentário – Travessia

Começando as resenhas dos livros que comprei na Bienal, hoje vou resenhar um dos livros que estava mais esperando esse ano, a sequencia de DESTINO.

 Travessia – Ally Condie
 Suma – 280

Em busca de um futuro que pode não existir e tendo que decidir com quem compartilhá-lo, a jornada de Cassia às Províncias Exteriores em busca de Ky – levado pela Sociedade para uma morte certa –, mas descobre que ele escapou, deixando uma série de pistas pelo caminho. A busca de Cassia a leva a questionar o que é mais importante para ela, mesmo quando vislumbra um diferente tipo de vida além das fronteiras. Mas, à medida que Cassia tem certeza sobre o seu futuro com Ky, um convite para uma rebelião, uma inesperada traição e uma visita surpresa de Xander – que pode ter a chave para revolta e, ainda, para o coração de Cassia – mudam o jogo mais uma vez. Nada é como o esperado em relação à Sociedade, onde ilusão e traição fazem um caminho ainda mais confuso.

 

Porque quando você ama, não há o que fazer. Você ama e não tem como voltar atrás.” – Pág 52
E então eu penso: E  se eu tivesse que classificar a mim mesma? Me pergunto. O que eu veria?“-Pág 68
Então ela perguntou qual era a cor dos meus olhos. Naquele momento percebi que amar alguém era mais perigoso, mais como uma rebelião, do que qualquer outra coisa.” Pág 84
É lindo e é real, mas nosso tempo juntos pode ser tão efêmero como neve no planalto. Podemos tentar mudar o mundo ou simplesmente aproveitar ao máximo o tempo que temos.” – Pág 160
Não é saber escrever que faz você uma pessoa interessante – ele disse- é o que você escreve.” – Pág 200
Despedidas são assim. Nem sempre dá para distingui-las muito bem no momento da separação, por mais profundo que seja o corte.” – Pág 248

 

Eu já sou apaixonada por essa série, e juro não me decepcionei nem um pouco com a continuação de Destino.  O ritmo do livro é mais rápido que o  anterior, e a narrativa se alterna entre Ky e Cassia. Por isso nesse livro conhecemos mais sobre  Ky, sua vida e como se tornou uma aberração. Conhecemos as províncias exteriores e somos apresentados a mais mistérios da Sociedade.

Uma da coisas que eu mais gostei em Destino, é a questão de o livro ser basicamente um culto a arte, a forma de expressão por meio da arte.  Em Travessia não é diferente, ao conhecer novos personagens, muitos desses aberrações, vemos como a Sociedade suprime toda e qualquer forma de expressão, como muitas coisas simples se tornam belas quando raras.

Gostei muito da narrativa de Ky por finalmente entendermos a visão dele das coisas. Li varias resenhas onde os leitores se diziam desencantados com ele após conhecer sua visão. Eu já não alimentava muitas esperanças de Ky ser o príncipe encantado/herói perfeito, pelo contrario esperava exatamente o que vi dele: Inseguro e com muitas cicatrizes de tudo que já havia passado na vida. Pra mim, Xander sempre foi bem mais o príncipe encantado, e embora ele quase não apareça no livro me surpreendi com o rumo que o lado dele da história está tomando.

O livro termina com muitas duvidas, mais dúvidas que reais respostas, e juro que estou curiosa para saber como Ally vai conseguir finalizar a série no próximo livro.

Reached (Alcançar – Tradução Livre), o terceiro e ultimo livro da série, será lançado nos EUA em 13 de novembro de 2012, e tem previsão  para ser lançado aqui no Brasil no final do 1º semestre de 2013.

Quanto ao filme, como já havia comentado na resenha de Destino, a Disney já detêm os direitos para adaptar a série para as telonas, porém a novidade é que finalmente a Disney assumiu que irá fazer adaptação, inclusive já escolheu os roteiristas Michelle e Kieran Mulroney  (Sherlock Holmes: A Game of Shadows)  e até o momento tem como diretor cotado para dirigir a adaptação David Slade (A Saga Crepúsculo: Eclipse). Espero que isso seja um sinal de que a Disney realmente quer abocanhar o publico jovem saindo um pouco dos clássicos desenhos que a consagraram (Mas não muito adoro os desenhos da Disney). E que isso a leve a produzir alguns outros filmes que detêm os direitos de adaptação, como a série A Mediadora de Meg Cabot.

Resenha de Destino:

Bom aguardamos novos capítulos, e espero que essa competição das grandes produtoras resulte em ótimas adaptações cinematográficas de livros que já são maravilhosos. Mas até lá, continuemos com os livros.

Resenha/Cometário – Jogos Vorazes

Hoje a resenha é combo, pois vou aproveitar o livro para falar um pouco do filme também. Basicamente engoli essa série toda no inicio das férias e mais que um romance essa história é uma crítica a nossa sociedade atual e nos faz realmente pensar em como vivemos e como somos controlados.

 Jogos Vorazes – Suzanne Collins
Rocco – 397

“Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?”

 

Conheci o livro pelo bum que foi sucesso dele, as pessoas falando dele, varias vezes como mais vendido, primeiro lá fora depois aqui no Brasil. Quando vi que iria sair o filme já estava louca para lê-lo e após vê-lo, bom eu não resisti e peguei para lê-lo. Já li a série toda então vou tentar segurar os spoilers, TENTAR!

No primeiro livro da série conhecemos muito pouco sobre a real estrutura da sociedade de Panem, pois o foco do primeiro livro é mostrar como é a vida no distrito 12, como é o sorteio dos tributos e por fim a brutalidade dos Hunger Games.

Vemos como a vida de Katniss é dificil, ela caça junto com o “amigo” Gale para não deixar a família passar fome, e o que não pode caçar troca por sua caça no mercado. As regas impostas pela Panem praticamente tentam matar cidadãos como Gale e Katniss, que, se não soubessem tirar alimentos da floresta (A qual pela Panem é proibido o acesso), morreriam de fome. E ao longo do livro descobrimos que isso realmente quase aconteceu, que se Katniss não tivesse assumido o lugar do pai, que morreu em um acidente nas minas de carvão, ela e toda sua família teria morrido.
Todo o livro mostra muito a relação entre Katniss e sua família, o amor que ela tem pela irmã quase que como uma filha para ela, e a raiva que tem da mãe que se ausentou após a morte do pai e por sua criação nunca foi tão “forte” como Katniss ou Gale.

Em todo o cenário de “contos de fadas” que vemos no Capitol, todo o luxo e riqueza, é fácil ver como até Katniss e Peeta ficam um pouco seduzidos  mas ao mesmo tempo vão perdendo o encanto vendo os treinos, como seus adversários não exitariam em mata-los. Eu juro que fiquei me perguntando esse livro inteiro porque eles não se reúnem e lutam, porém quando vemos como a arena é controla e manipulada, como a Panem basicamente escolhe seus campeões, vemos porque isso não é possível.

Katniss e Peeta são os tributos do distrito 12, e  na entrevista dos tributos com Caesar Flickerman o romance da história aparece: Peeta se revela apaixonado por Katniss. Porém ela não o corresponde, Katniss nunca se permitiu gostar nem mesmo de Gale por imaginar que amor levava a casamento, casamento a filhos e a realidade do Distrito 12 não permite que ela sonhe com isso. Porém como os Hunger Games antes de tudo são jogos de aparência, ela veste a fantasia dos “Amantes Desafortunados do Distrito 12”.

A Katnnis,  é muito fechada e é uma pessoa fria e dura, acho que a maior reação que vejo dela é pra se oferecer como tributo no lugar da irmã, e depois com Rue na arena.  E no filme a interpretação da Jennifer Lawrence  é bem como eu imaginei a Katniss. Ao mesmo tempo a admiro muito por ser forte e em alguns pontos até me identifiquei com ela, e adoro a habilidade dela com arco e flexa, e me emociono toda vez que leio/lembro/assisto a cena em que ela se oferece como voluntaria e quando ela canta para Rue.

Mas meu personagem favorito é o Peeta, a não tem como não gostar dele! Sim ele é meio bobo, e enquanto a Katniss é fria e até um pouco dura por tudo que passou na vida o Peeta não, ele tem uma moral e um senso muito forte. Por ser filho de padeiros teve uma vida mais “fácil” que ela, e em alguns pontos é até meio “cego” quanto aos reais propósitos da Panem, mas ao mesmo tempo quando ele fala… ele encanta, e ele vê as coisas de um jeito mais humano. E espero que o Josh Hutcherson consiga passar isso nos próximos filmes pois nesse primeiro foi realmente o que eu esperava dele.

Minha unica reclamação quanto ao filme é terem cortado algumas partes em que dava pra ver esse encanto em ouvir o Peeta falar, ele me pareceu mais um menino mimado e fraco. O que não é de todo mentira, ele é mais emocionalmente fraco que a Katniss, mas em fim isso fica mais evidente nos outros livros e espero que fique também nos filmes. A e claro mudarem a origem do broche do Monckingjay, em fim dá pra perdoar. Adorei as roupas malucas dos cidadãos do Capitol e são realmente bem malucas  como descritas no livro. E eu é claro me apaixonei por algo que li, quando a equipe prepara Katniss para sua entrevista e pintam chamas em suas unhas… Ah não deu outra, olhem o resultado:

Lembram do The Hillywood Show? Então eles fizeram uma parodia do filme também, vale muito a pena ver:

Em fim para quem ainda tem duvidas se quer ler ou não o livro veja o filme, não é tão bom quanto o livro (Juraa??) porém é um incentivo. Vi muita gente reclamando que é bobo e tudo mais. Talvez para quem não consegue fazer a ligações de um filme/livro como esse e o nosso mundo, com a nossa sociedade, seja mesmo um livro/filme bobo, porém livros e filmes não pensam quem pensa são os leitores e espectadores.  Nesse primeiro não vou fazer muito esse comparativo pois é spoiler de mais,  aguarde os próximos livros.

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes