Resenha/ Comentário – Hades

HADES

 Hades – (Halo#2)
Alexandra Adorenetto – Agir – Pág 333

Bethany Church é um anjo enviado à Terra para combater as forças das Trevas. Apaixonar-se nunca fez parte da sua missão, mas o vínculo entre ela e seu namorado mortal, Xavier Woods, é forte. Mas mesmo o amor de Xavier e os cuidados de seus irmãos anjos, Gabriel e Ivy, não impedirão que Beth seja levada a um passeio de moto que acabará no Inferno. Lá, o demônio Jake Thorn não permitirá que Beth volte à Terra e pedirá a ela algo que poderá destruí-la e também a seus familiares.
 

“Você sacrificaria sua alma para salva-la. É um preço alto a ser pago por algo que nem mesmo é humano.” – Pág 257

“O amor precisa ser retribuído para ser real.” – Pág 268

“Acontecem todos os dias as coisas mais estranhas, e ninguém presta atenção. As pessoas sempre veem o sobrenatural, mas fingem não ver, colocam a culpa no excesso de café ou no sono insuficiente.” – Pág 299

As coisas parecem normal na Bryce Hamilton, Xavier e Bethany estão mais juntos que nunca.  Ela ainda é o anjo ingenuo de sempre, e que quer salvar o mundo junto de seus irmão Gabriel e Ivy. E isso é ruim? Dessa vez a ingenuidade de  Bethany a levará ao inferno mais uma vez preza por Jake e colocando em rico não apenas Xavier e seus irmão mas todo o mundo.

A série Halo é meu xodó no que diz respeito as séries de anjos.  Adoro o jeito ingenuo da Bethany e o ar todo da historia.

Na continuação de Halo somos levados ao inferno na garupa de Jake. Gostei muito desse livro por principalmente conhecermos mais Jake. No primeiro livro eu particularmente imaginei que ele seria um personagem passageiro, que nem o veria no segundo volume da série, porém ele é 100% presente, e mais que isso conhecemos mais de quem é Jake. E, juro, fiquei com dó dele e até com aquela vontade de que ele fique bonzinho mais ainda por ver que no fundo ele gosta da Bethany. De um jeito totalmente errado, claro, mas gosta.

Gostei muito de ver também como Xavier evoluiu, eu o encarava como um cara certinho e taus. Mas nesse livro vemos o quanto ele é corajoso, determinado e mais que isso, apaixonado pela Bethy. Vide ultimo capitulo… xD

O livro é consideravelmente menor que Halo, e senti que o livro não teve tantos momento fracos é bem dinâmico e com muitas cenas românticas e outras mais pesadas.  Gosto muito de autores que fazem citações, principalmente, de musicas e mais ainda quando são musicas recentes e ou que eu conheço.  A unica coisa que tenho pra reclamar do livro é a questão da falta de espaçamento duplo em trocas de cenas. Pode parecer uma coisa meio boba, mas eu sinto falta disso, como sinto falta de virgulas.

O 3º volume da série Halo, Heaven foi lançado aqui no Brasil no inicio do ano:

Heaven_CAPA

Bethany, um anjo enviado à Terra, e seu namorado mortal, Xavier, foram para o inferno e voltaram. Mas agora seu amor será posto ao seu maior teste até agora, já que eles desafiam a lei Celeste e se casam. Eles não contam aos irmãos arcanjos de Beth, Gabriel e Ivy, mas os anjos saberão em breve, e a punição vem de uma forma aterradora: os Sete, que são desonestos anjos empenhados em manter Beth e Xavier distantes, destruindo Gabriel e Ivy, e escurecendo o poder angelical nos céus. A única maneira de Bethany e Xavier poderem fugir dos Sete é esconderem-se a céu aberto, e se misturar com os outros mortais da mesma idade. Gabriel e Ivy os põem na faculdade, onde eles não podem revelar seu relacionamento, e onde ainda há perigo em cada esquina. Será Bethany chamada de volta para o céu – para sempre – e capaz de deixar o amor de sua vida?

Hades termina de uma maneira que… é meio impossível não ficar com vontade de ler Haeven, e depois da sinopse do mesmo dá mais vontade ainda.

Gostaria de aproveitar pra comentar que no fim do ano passado a editora Agir, detentora dos direitos de publicação do livro aqui no Brasil começou (e só começou) uma processo de divulgação do lançamento do ultimo livro da série, com divulgação no Facebook, Twitter e até via e-mail. Porém, eu ao menos, só recebi 1 único e-mail informando sobre a capa do livro e o titulo, informando que ambos foram mantidos para a edição brasileira. Bom e ai? Mais nada, nem uma divulgação direta do lançamento e data do mesmo. Soube por outros blogs mas nada da própria editora. Sinceramente os livros que tenho da Editora são de ótima qualidade, porém no que diz respeito a divulgação vai de mal a pior. Um tempo atras o grupo Ediouro (responsável pelo celo Agir, Nova Fronteira, entre outros) mantinha um blog muito legal chamado Agito livros, o qual simplesmente sumiu. E ainda com relação ao problema de péssima publicidade lembro do livro Morte Súbita o qual teve uma publicidade xinfrinha. A editora tem ótimos títulos (Vide Vampire Academy) mas tem uma péssima publicidade, e tira muito pouco proveito dos títulos que detêm.

Mas em fim vale a pena ler. Até o//

Resenha/Comentário – Sombra

Depois de umas férias do blog finalmente a ultima resenha dos livros que comprei na Bienal, a continuação de Escuridão, Sombra.

SOMBRA Sombra (My Land #2)
 Elena P. Melodia – Suma – 340 pág

“Alma tenta, mas não consegue escapar de uma excursão da escola. Ao comparecer a uma exposição de fotografias com a turma, vê o retrato de uma menina idêntica a ela. Como pode uma sósia ser idêntica em TUDO até nas roupas? Morgan, seu melhor amigo, está desaparecido, mas colegas e família parecem não se dar conta. Seu comportamento é bastante estranho. Quando reaparece, ele marca um encontro com Alma num esconderijo subterrâneo debaixo de um velho aqueduto. O que ele quer contar a ela? Teria algo a ver com os assassinatos que ocorrem na cidade? E com as vozes na cabeça de Alma? E seriam todos estes mistérios indícios de algo ainda mais surpreendente sobre a própria origem de Alma e Morgan?”

“Quanta força tem um olhar, mesmo vazio?” -Pág 11

“Acho que nos dão um inicio, um ponto de partida. Dai em diante, a escolha é nossa. Tudo está em nossas mãos. A sorte e o azar estão ligados ao modo como agimos(…)” – Pág 137

“Interpretações geram expectativas, que por sua vez geram desilusão.” – Pág 287

Se o clima já era sombrio em  “Escuridão”, “Sombra” não se mostra nada menos sombrio. Logo no começo do livro Alma descobre uma garota idêntica a ela, uma “sósia”, porém não é apenas uma sósia. Ela continua a escrever assassinatos e mais que isso agora ela acaba por presencia-los.  Ao procurar o fotografo de sua sósia ela descobre que ela também tinha problemas.

Nunca tinha encontrado uma personagem com o meu nome, e nesse livro fiquei espantada quando li “Larissa” nas paginas do livro. Porém, é… não digo que gostei muito dela não. Larissa é a “sósia” de Alma filha do fotografo e que esconde um grande mistério.  Os mistérios ficam mais  “claros” nesse livro e entendemos o porque de no nome da série ser My Land.

Nesse livro Elena continua com a característica que mais gostei nela, não sei bem como descrever isso mas ela aborda assuntos reais, diria até curiosidades, coisas que tornam o livro mais enriquecedor culturalmente. Nesse livro ela fala sobre a memoria da água (uma propriedade, da mesma, usada em homeopatia) além da questão sobre a ligação entre irmãos gêmeos.  Além de falar sobre a vida em uma instituição para menores continuando o ocorrido com Agata no livro anterior, também continua a abordar o ocorrido com Naomi. Em fim ela continua a abordar assuntos fora do universo fantasioso.

Tenho de comentar do triangulo amoroso que se forma nesse livro, no inicio juro que gostava do Morgan mas mais pro fim do livro fui pegando raiva dele e comecei agostar do Adam. A relação entre os 3 também é um ponto alto do livro por ser uma relação bem complicada, sendo que Alma descobre ter muito em comum com Morgam mas ao mesmo tempo se sente ligada a Adam mesmo com tudo o que aconteceu no livro anterior.

O 3 livro da série “Luz” (“Luce” – Em Italiano) foi lançado no Brasil no finzinho de Janeiro.

Capa Luz.“Alma está em um quarto de hospital momentaneamente sem memória. Logo, porém, outros não vão se lembrar dela também: sua família, seus amigos, todos, exceto Adam. De volta em casa, agora querem descobrir o que aconteceu com Morgan. Como tornar-se completamente humana? E quem escolher, Adam ou Morgan?”

Esse ai da capa é o Adam? Não gosti não… vou continuar com o da minha imaginação. Mas gostei muito do efeito de água nesse livro tem bem haver com a historia, porém no geral as capas dessa série não são as mais bonitas. Então não julgue um livro pela capa porque vale muito a pena conhecer essa série, aguardo ansiosamente para ler “Luz”.

Resenha/Comentário – Cinquenta Tons de Cinza

Vamos falar do fenômeno, e polêmico, sucesso literário do ano.

CINQUENTA_TONS_DE_CINZA Cinquenta Tons de Cinza – E L James
  Intrínseca – Pág 455

“Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja, mas em seus próprios termos.”

 

Juro que ainda não sei dizer se gosto ou não desse livro, é um livro pesado, é um livro erótico, e gostei muito de uma expressão que li sobre o livro é um Mommy Porn.  E opinião e bafafa sobre esse livro foi o que mais li e ouvi desde que terminei de ler esse livro há uns 3 meses.

Mr. Grey é o sonho de qualquer mulher logo a primeira vista, misterioso, rico (Me chianguem o quanto quiser mas sem todo o dinheiro que tem não realizaria metade do que faz nesse livro, a menos que foce muito criativo.) e com um fortíssimo Sex Appel(?)! É impossível não se sentir atraída por Grey, mesmo em cenas que não são necessariamente quentes, ele emana sedução.

Todo o processo de divulgação do livro é claro que ajudou e muito a vende-lo. Cinquenta tons já chamava a atenção pouco antes da Bienal de 2012 porém foi na mesma que fiquei morrendo de vontade de conhecer esse novo fenômeno.

estandeintrinseca  Greynabienal

Essas fotos são do estande da editora que utilizou como maior publicidade o livro e ao lado o evento que ocorreu no ultimo dia da Bienal com um ator vestido de Christian Grey.  Na Bienal não comprei o livro, mas trouxe alguns panfletos com o primeiro capitulo e marcadores. Pra que?! Só o primeiro capitulo já fiquei encantada com o Mr. Grey.

Porém voltando ao livro depois de todo esse encanto você vai realmente conhecendo Grey, o clima do livro e no geral a pornografia do mesmo. Criticas que eu tenho desse livro são bem simples, o livro não tem um conteúdo propriamente dito é realmente um Mommy Porn, um livro para você ler porque quer se desligar um pouco de sua vida. Talvez tenha sentido muita falta de conteúdo nesse livro pois tinha acabado de ler Escuridão e Sombra (Elena P. Melodia) e ambos são muito ricos em conteúdo. Outra coisa que me irritou foi a linguagem chula,  quem me conhece sabe que não gosto de linguagem chula em livros, em alguns pontos (“I don’t make love. I fuck…hard”) é necessário, mas em outros não vejo necessidade.  Porém nada grave.

É uma leitura gostosa, simples e que se desenrola com facilidade com foco, claro, nos momentos de sexo entre Ana e Christian. O ponto polemico do livro é  o sadomasoquismo de Christian, o gosto dele por assim dizer. Além de toda a brincadeira erótica entre eles. A parte que eu gostei do livro foi o drama psicológico de Ana que é totalmente inocente (e virgem) ao conhecer Christian e se vê envolvida em todo o erotismo e sadomasoquismo dele. Além da duvida de quem é Mr. Grey e porque ele é assim, visivelmente avesso a qualquer relação mais profunda do que apenas “fuck hard” com ela (xDD).  Tem muito de romance entre tudo isso, meio enrolado, meio medroso e torto mas é um romance.  É quando você vê a paixão mudando um pessoa (^^). Me incomodou muito a submissão imposta por Christian a Ana, e o fato de ela aceitar, entendo, juro que entendo mulher apaixonada faz cada tonteira (u.u”), mas me incomodou de mais. Mas em fim esse é o drama.

Outra coisa que quero comentar é a reação que vi das pessoas quando me viam lendo esse livro, desde “Você está lendo isso?”, passando por “Você tem idade pra ler isso?”, a apenas sorrisinho irônicos e comentários “Safadinha…”. Demorei menos de uma semana pra ler esse livro e juro que todo dia tinha um que me enchia. E percebi que a maioria eram homens. Não sou nenhuma super-feminista pelo contrario sou na verdade uma defensora dos poucos homens cavalheiros ainda existentes, porém percebi que eles se sentem intimidados por mulheres que procuram uma leitura desse gênero até comentar com eles é engraçado porque eles ficam meio perdidos (risos).

Como não achei BookTrailer desse livro vale uma musica que, pra mim, combinou muito com o livro.

 

Gosto de falar de fenômenos por isso tem muito assunto! Mas em fim, vou guardar mais um pouco para o próximo volume. E para quem sente medo de ler, ou ser visto lendo, um livro com essa fama deixe eu avisar: O livro não morde e o “Index” já foi abolido a muito tempo. Vale a pena conhecer, e se conhecer em um ponto mais “sexual” seja homem ou mulher. E livro nenhum é proibido, proibido é julgar sem realmente ler!

Resenha/Comentário – Escuridão

Depois de uma sumida cá estou com mais um livro da Bienal, que já faz uns 3 meses que li (>.<“),  e como estou mega atrasada com as resenhas vamos lá!

Escuridão  (My Land #1)
Elena P. Melodia – Suma – 332 pág

“Alma tem 17 anos, e nada em sua vida difere das meninas de sua idade: escola, programas com seu grupo de amigas, tédio e impaciência na relação com a família. Até o dia em que vê um caderno roxo numa vitrine e, por puro impulso, o compra. A partir daí, acontecimentos horripilantes começam a se suceder. Todos descritos em detalhes nas páginas do caderno…antes de acontecerem. Com a letra dela. Que não se lembra de ter escrito nada. Quem é Alma, na verdade? Quem é Morgan, seu misterioso amigo de escola, que parece ter respostas para o que está acontecendo? E como impedir que as forças do mal se aproximem dela e de quem ela ama?”

“(..) sorrisos e lágrimas podem ser muito perigosos se ficarem fora de controle.” – Pág 10

“Mas o conceito de justiça também é, sempre e de todo modo, pessoal” – Pág 21

“Digerir pensamentos que não nos pertencem é muito mais fácil do que fazer o mesmo com os nossos” – Pág 34

“As vezes a vida nos coloca diante de opções muito difíceis. Nem todos fazem a escolha certa.” – Pág 304

Em Escuridão conhecemos Alma uma garota mimada, convencida e líder de um grupinho exclusivo no qual só se entra com aprovação dela e de suas amigas (Naomi, Seline e Agata).  Já peguei uma raiva tremenda dela logo nas primeiras paginas por ela ser muito cheia de si e extremamente convencida.  Porém ao longo do livro conhecemos a vida de Alma que inclui seu irmão, com quem tem uma péssima relação, sua irmãzinha, muda desde a morte do pai, sua mãe uma enfermeira dedicada e um estranho caderno roxo. Alma começa a escrever estranhos assassinatos, porém ela não sabe como ou porque eles acontecem. Ela irá descobrir que  é muito mais que apenas uma garota com problemas.

Vale ressaltar que a autora enrola muito e juro que até o final desse livro não sabia explicar do que se tratava o livro, porém isso não o torna massante pois ao longo do livro ela fala de varias situações da vida de Alma. Vemos a difícil relação de Alma com o irmão do meio Evan, com sua mãe e seu namorado. Uma coisa que eu gostei foi uma cena em que um casal Gay é descrito com naturalidade, também o fato de ser abordado a Anorexia e a Bulimia. Gosto de livros com conteúdo com coisas pra se levar além de uma boa historia e não me decepcionei com esse.

O livro tem uma boa pitada de mistério e talvez até um pouco de terror, aquele tipo de suspense que faz você querer ler tudo de uma vez pra entender o que acontece. Porém nesse livro não teremos muitas respostas. Nesse ponto posso compara-lo a série Fallen e adianto que não é menos surpreendente porém bem mais macabro.

Elena P. Mellodia é uma escritora Italiana e esse foi um dos motivos pelo qual o livro me interessou, é gostoso sair um pouco dos tradicionais livros americanos, e o ar do livro é claramente outro e acredito que mostre um pouco a realidade da escritora.

Resumindo vale muito a pena ler esse livro, não é um Best Seller, porém tem todo esse potencial e recomendo muitíssimo principalmente pra quem gosta de um livro mais “sombrio”.

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes